Casa do Vô Benedito

Casa de amor e caridade

O Terreiro de Umbanda "Casa do Vô Benedito" foi fundado no dia 02/08/2015, sob a inspiração e comando das Entidades Espirituais do Preto-Velho Vô Benedito e do Caboclo Araribóia, tendo como dirigente Antonio V. Cardoso - Pai Antonio de Oxóssi.

A Casa tem raízes no "Terreiro do Pai Maneco"(TPM), em razão do dirigente tê-lo frequentado por mais de 12 anos e foi feito Pai-de-Santo pelo Pai Bitty de Ogum, um dos Pais do TPM. Isso faz com que a ancestralidade do Pai Fernando de Ogum e a Umbanda de Zélio de Moraes sejam uma referência para a Casa.

Desta forma, a Casa do Vô Benedito trabalha na Lei do Amor e da Caridade, desenvolvendo a consciência espiritual de seus médiuns e frequentadores. Tudo o que é feito é sem cobrança, sem sacrifício animal, sem trabalho espiritual que não seja para o Bem.

FILOSOFIA

O nome do Terreiro tem como objetivo homenagear uma das entidades-chefe da casa (Vô Benedito, representante da linha dos Pretos Velhos) e também a força e sabedoria dos anciãos. Eles representam os que vieram primeiro, a ancestralidade de cada um de nós, tanto física quanto espiritual, trazendo conhecimento, amor, compreensão e humildade na mais bela simplicidade do ser humano, de pés descalços e numa linguagem simples que fala ao coração.

Os princípios filosóficos e religiosos que, na linguagem da Umbanda, são os "fundamentos" da Casa, são diretrizes dadas pelo Vô Benedito, que estabeleceu como objetivo ou missão: 1) trabalhar para a Cura (física, emocional e espiritual), e 2) o Desenvolvimento Espiritual (auto-consciência e responsabilidade), e tem os seguintes princípios:


  1. Simplicidade: para fazer um trabalho de caridade, não é preciso muito. É necessário ter amor, foco e fé. Com isso, a base para um trabalho espiritual sólido e caridoso está feito;

  2. Não julgar: cada pessoa tem uma história única e sagrada. Independente da origem, escolhas ou características, todos merecem o amor e deverão ser tratados como iguais. Afinal, aos olhos de Olorum (Deus), somos todos seus filhos e, por tanto, trazemos uma partícula divina em nossa essência e, como seres únicos, cada um (a seu modo e tempo) está em seu processo de reconexão com o divino, ou seja, nosso desenvolvimento espiritual;

  3. Compreensão: a compreensão é atitude de aceitação, de empatia para com o próximo. É a capacidade de reconhecer que, muitas vezes, nossos defeitos (rejeitados em nós mesmo) são projetados nos outros e que no fundo padecemos todos nós dos mesmos males. Todos temos necessidades de ter amor, segurança, prosperidade e assim por diante, de forma que sofremos quando isso não ocorre (medos, angústias e inseguranças). Por isso, compreender a si é compreender o outro e vice-versa;

  4. Orai e vigiai: para garantir nosso equilíbrio espiritual/emocional, devemos cuidar com o que pensamos e desejamos. Somos altamente capazes de mudar a nossa vibração energética com qualquer tipo de pensamento que tenhamos. Sabemos que isto é muito difícil, afinal, somos seres em evolução. Mas quando percebemos que estamos nos perdendo, podemos orar às forças que consideramos sagradas (Deus, Jesus/Oxalá, Guias, Santos e outros), a fim de sustentar o nosso equilíbrio energético. O bem-pensar, o bem-dizer, o bem-fazer (a caridade) devem ser nossas atitudes.

Associação Espiritualista
Casa do Vô Benedito

R. Ernesto Carlos Zoppo, 227

Ferraria, Campo Largo-PR


Giras presenciais suspensas devido à pandemia do COVID-19


INFORMATIVOS

18/09/2021 - Amalás de setembro:

  • Oxóssi | Pretos Velhos | Erês | São Miguel

04/09/2021 - Amalás de setembro:

  • Oriente | Esquerda | Ciganos | Ogum

21/08/2021 - Amalás de agosto:

  • Exus, Pombagiras e Exus Mirins | Ogum

04/08/2021 - Lançamento do livro "VÔ BENEDITO - Nos tempos de Escravidão"

É com muita alegria no coração que anunciamos a todos o lançamento do livro do Vô Benedito - Nos Tempos de Escravidão, intuído pela nossa querida Mãe Anna de Iansã.

"A escravidão foi uma das maiores crueldades que a humanidade já praticou. A liberdade é um direito sagrado. Vô Benedito, entidade de Umbanda, guia chefe de terreiro, vem, através desta história, nos contar como foi, no seu caso, sobreviver ao cativeiro e ao mesmo tempo manter a fé, a esperança. De forma simples, mas rica em ensinamentos, ele relata sua trajetória de vida nos tempos da escravidão e nos surpreende durante a narrativa por várias vezes e por muitos motivos. Uma das muitas surpresas que esta história traz é o cenário no qual se desenrola, pois não foi no Brasil que ele viveu escravizado. Cercado por amigos de velhos tempos, de outras vidas, ele relata seus medos, suas dores, amores, sentimentos fortes aos quais foi exposto e a importância da fé para viver tudo isso sem perder de vista o amor. Com riqueza de detalhes, ele nos conta ainda sobre seus primeiros passos como benzedor, dom que desenvolveu mesmo vivendo escravizado."

O livro está disponível para venda no link abaixo, com parte da renda advinda das vendas a ser revertida para nossa casa:

https://clubedeautores.com.br/livro/vo-benedito

02/12/2020 - Carta aberta à sociedade

Os templos de Umbanda unidos em prol da vida e da saúde, buscando cumprir sua missão espiritual de primar por toda a comunidade e lutar por seu bem estar, vem solicitar os préstimos e atenção dos senhores e das senhoras.
Vivemos em um momento de extrema dificuldade, os números de pessoas infectadas pelo coronavírus vem aumentando drasticamente nas últimas semanas (em todo o Brasil), bem como os números de óbitos e internamentos. Já acompanhamos o desencarne de mais de 170 mil brasileiros, que regressam ao mundo espiritual em um desencarne coletivo inédito nas últimas décadas.
Nada mais divino que a dádiva da vida, um bem, um presente de Deus. Preservar e garantir a vida é uma obrigação de todos os seres humanos, e ainda mais aos sacerdotes e sacerdotisas. Por isso estamos fazendo um apelo, pois somente juntos poderemos conter o avanço da pandemia.
Apelamos a todos e a todas, a pandemia é séria, a doença tem índice de contágio elevadíssimo, e embora a taxa de mortalidade pareça pequena, entre 2,6 e 3%, mais de 1,4 milhão de pessoas morreram por causa do COVID-19. Além desses números altos, mais de 15% de todos os contaminados precisarão de internamento hospitalar. Os hospitais e clínicas estão ficando cada vez mais sobrecarregados e os profissionais de saúde estão em seus limites, muitos hospitais estão fechando seus atendimentos por estarem com a capacidade máxima atingida.
Muitos jovens e adultos são os principais contaminados, e alguns desses estão tendo poucos sintomas, ou sintomas muito leves. Porém acabam por espalhar a doença para o seio de suas famílias e seus locais de emprego e encontro, aumentando de forma lamentável o número de contaminados e de fatalidades. Medidas simples, de fácil acesso fazem toda a diferença.


Faça por você, por sua família pela vida, por Deus, mas faça a sua parte:
  1. Não saia de casa se não for necessário, não esteja em nenhum local com aglomerações;
  2. Se tiver que sair use máscara durante todo o período, assegurando-se de trocá-la cada vez que necessário (a cada 2horas);
  3. Mantenha as mãos sempre longe do rosto, não entrando em contato com o nariz, boca nem os olhos, para arrumar a máscara faça pelo elástico lateral e nunca pela superfície de contato com seu nariz e boca;
  4. Lave as mãos sempre, com sabão, por pelo menos 20 segundos;
  5. Limpe as mãos e braços sempre que estiver em locais públicos com álcool 70% (seja gel ou líquido), limpando superfícies de contato com o mesmo produto;
  6. Surgindo qualquer sintoma da doença busque orientação no serviço de saúde, isole-se, faça o teste e siga as recomendações médicas;
  7. Se teve contato com alguém com covid-19 mantenha-se em quarentena e faça o teste para garantir que você não seja um proliferador da doença;
  8. Mantenha-se sempre distante das pessoas em no mínimo 2metros, mesmo usando máscara;
  9. Não compartilhe talheres, copos ou toalhas;

Estamos todos torcendo e rezando para a conclusão da ciência na produção da vacina, porém não podemos esperar que ela chegue sem fazermos nossa parte. Cuidar da vida é a verdadeira caridade. Preservar a saúde, ser exemplo em nosso meio, é atitude de todos que se dizem seguidores de Deus. Amar o próximo é garantir saúde e vida. Se todos nos conscientizarmos, aprenderemos a maior de todas as lições que essa pandemia pode nos dar: somente juntos teremos um mundo melhor, somente na solidariedade e na colaboração coletiva construiremos um mundo na Terra digno dos ensinamentos e da vontade de Deus.Juntos estamos em favor da vida, a seu favor e a favor de todos e todas.
Umbanda contra o COVID Umbanda a favor da vida, sempre

Templos que assinam

Associação Espiritualista Mensageiro de Aruanda - ASSEMA Casa das Orquídeas - CdOCentro De Estudos Holístico de Curitiba - CEHCTenda de Umbanda Pai Benedito das AlmasTerreira Todos Amigos de AruandaTerreiro Casa do Vô Benedito
Terreiro de Umbanda Caboclo Tupinambá
Terreiro de Umbanda Cruzeiro das Almas - TUCATerreiro de Umbanda das Matas - TUMTerreiro de Umbanda do Pai Tomás - SEDUCATerreiro de Umbanda Erê Juninho - TUEJTerreiro de Umbanda Luz, amor e Paz - TULAP
Terreiro de Umbanda Luz, Caridade e Amor - TULUCA
Terreiro de Umbanda Pai Jacó Terreiro de Umbanda Pai Maneco - TPMTerreiro de Umbanda São Jerônimo – TUSAJETerreiro de Umbanda Vovó Benta - TVBUnião dos Terreiros de Umbanda Caboclo Mata Virgem - UTUMV

17/10/2020 - 2ª Feijoada Beneficente da Casa do Vô Benedito

Olá, amigos! Estamos organizando nossa 2ª Feijoada. Nosso objetivo é arrecadar fundos para a reforma de nossa nova sede, onde pretendemos recebê-los com todo o carinho e acolhimento de sempre. Agradecemos sua colaboração!

Links para depósito abaixo:

https://www49.bb.com.br/pagar-receber/... http://picpay.me/antonio.vitorino.cardoso

19/09/2020 - Ritual de Amaci e Encerramento das atividades na Sede da Espírita (Preleção Pai Antonio de Oxóssi):

"Queridos filhos, não é preciso chorar, porque não é um clima de adeus, é um clima de mudança. É para entender que a vida são ciclos que estamos vivendo. É o momento de a gente agradecer a oportunidade que tivemos de aprender nesse local, agradecer aos nossos ancestrais que são os responsáveis por trazer a Umbanda até nós, desde Zélio de Moraes, Pai Fernando, Pai Bitty que são a nossa linhagem. Sem eles nós não estaríamos aqui hoje, então temos que ser gratos àqueles que nos auxiliaram a criar as condições para que tudo isso acontecesse.

Mas, mesmo assim, talvez as lágrimas venham, que sejam de alegria pelo que a gente viveu. Ninguém vai tirar a nossa vivência, ela está dentro dos nossos corações e vamos levar para a eternidade, porque é assim que compreendemos nossa existência: como espíritos caminhando na eternidade, cumprindo etapas. Aqui foi uma etapa. Nós estamos agradecendo hoje, nos fortalecendo, aprendendo uma outra visão de nosso cuidado, que não podemos ficar dependendo só do terreiro para cuidar do nosso Ori. É um momento que vamos ter para levar nossa quartinha para casa e cuidar do nosso Ori da melhor forma possível e depois, na nova casa, a gente vai voltar à tradição, mas com mais uma lição aprendida de que não importa onde a gente estiver, nosso Ori é a nossa ligação com a espiritualidade.

O ritual será um pouco diferente, vai ser um auto Amaci. Não vamos usar a água como normalmente é usada nos Amacis, pois temos que cuidar das condições materiais, mas não deixaremos de trabalhar com todos os elementos da natureza, só que de outra forma. Pedi para cantar pra Nanã que é a água fundamental, a água da grande mãe, da nossa origem, da Orixá mais velha, que gerou seu filho Omulu/Obaluaê, que tem a ver com o nosso momento. Nós precisamos estar conectados com as energias de origem, com essa energia de transformação que Obaluaê traz. E também cantamos para Oxalá como o grande emissário de Olorum, que teve a missão de criar os Homens.

Esses pontos foram a preparação que a gente teve para esse clima do renascimento. A gente veio desse universo, dessa natureza, veio da água, a gente precisa do barro de Oxalá, e agora vamos nos unir aos outros elementos. O ar que nos rodeia e respiramos, a terra da quartinha, as ervas dos Orixás e o Fogo, que será nosso elemento principal neste Amaci. O fogo é a Luz Divina materializada neste plano. Então hoje teremos o "banho de fogo" sobre nossa quartinha, guias e Ori.

Como vai ser o ritual: a gente vai cruzar o fogo porque é um elemento que também podemos ser batizados. O que vai acontecer? Nós vamos fazer a abertura da gira mais simplificada e na sequência vocês vêm colocam suas quartinhas, vão colocar as suas guias sobre a firmeza que vai estar com as velas e luzes de todos os Orixás, pedindo que sejam banhadas de luz porque o fogo é uma forma de manifestação da luz dos Orixás e Guias. Esse vai ser o Amaci pelo fogo.

Ao final, vamos fazer o encerramento de agradecimento. E já desejando um ótimo começo de novo ciclo, em nova sede. Levando a Bandeira de Oxalá!

Axé a todos, hoje e sempre!

19/09/2020 - Mudança para Nova Sede

Olá irmãos e amigos da Casa do Vô! Hoje encerramos nossas atividades no endereço localizado no Bairro Santo Inácio. Estamos nos preparando para mudar.

Somos gratos a todos que pisaram neste chão sagrado. A todos que aqui trabalharam, doaram e receberam. A todos que trouxeram sua dor e seu amor. Todos contribuíram com um pouco de si, de sua alma e de sua matéria.

Agradecemos o apoio de todos, na certeza que, em breve, retornaremos com os trabalhos. Muito Axé!

26/07/2020 - Campanha "Corrente do Bem" - Casa do Vô Benedito

A Casa do Vô Benedito agradece a todos que colaboraram com nossa Corrente do Bem!A sua colaboração certamente levou, além de alimento e roupa, carinho e solidariedade!Muitas bênçãos a todos!

18/06/2020 - Arrecadação de Doações

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
A Casa do Vô Benedito agradece a todos que colaboraram com nossa campanha de arrecadação em auxilio à ONG Acefi.Na foto, nossa irmã e filha de corrente, Simone, ao lado do responsável pela Instituição.A todos, nossa gratidão e parabéns pela iniciativa, pois essa é uma das formas de seguirmos trabalhando e servindo em nome do bem comum, como nos ensina a Umbanda e todos nossos guias e mentores.
Agradecemos sinceramente as doações, desejando a todos muitas bênçãos e proteção!

31/03/2020 - Suspensão das Atividades

O Terreiro de Umbanda Casa do Vô Benedito suspenderá suas atividades por tempo indeterminado devido à pandemia do coronavírus (COVID-19), obedecendo às recomendações das autoridades.Emitiremos novo comunicado quando for possível o retorno às atividades normais da casa.Durante esse tempo de suspensão das giras, quem sentir necessidade, indicamos que mentalizem o Congá do Vô, façam seus pedidos e suas orações, preferencialmente às 22:30h diariamente pois, nesse horário, nos reunimos em projeção para colaborar com a espiritualidade nesse momento tão delicado, pedindo cura e Luz para toda a humanidade.Agradecemos a compreensão e pedimos a todos que se cuidem e conscientizem-se sobre a delicadeza desse momento.
Até breve!